Notícias

Sinduscon Paraná Norte: em defesa da construção civil

Em encontro com associados, presidente e diretores do Sinduscon mostraram que entidade tem atuado em todas as frentes para atender as principais demandas do setor



Associados ao Sinduscon Paraná Norte se reuniram hoje de manhã para conhecer as atividades da entidade. Conduzido pelo presidente Rodrigo Zacaria, o encontro contou com a participação de diretores do sindicato, que falaram sobre suas respectivas áreas de atuação. Eles mostraram que o Sinduscon tem ocupado espaços e trabalhado em todas as frentes para atender as principais demandas do segmento da construção civil da região.



O presidente falou sobre o trabalho feito nas esferas municipal, estadual e federal, ressaltando a importância da representatividade do setor. Zacaria atua ainda como membro do Conselho de Administração da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e como presidente do Conselho Municipal da Cidade (CMC).



O Sinduscon está presente ainda nos seguintes Conselhos Municipais: de Trabalho e Renda, do Meio Ambiente, do Contribuinte, da Saúde (por meio do Seconci), da Pessoa com Deficiência, da Preservação do Patrimônio Cultural e de Saneamento, além do Núcleo de Desenvolvimento Empresarial, do Grupo de Estudo sobre o Minha Casa Minha Vida, do grupo técnico de discussão do tema Ocupação e Preservação da Mata dos Godoy, do Forum Desenvolve Londrina e do grupo das principais entidades da cidade, o G-8. Também assinou termo de cooperação técnico-científico com a Câmara de vereadores e tem participação ativa na discussão de assuntos como planta de valores e lei de parcelamento do solo.



Vice-presidente do Sinduscon, José Marcos da Rocha apresentou-se como o responsável pela condução da negociação coletiva de trabalho, comentando que, por conta das emendas que devem vir por aí, a Reforma Trabalhista ainda não começou a ser discutida com o Sintracom. Vice-presidente administrativo, Fernão Galindo falou sobre a portaria do Comaer, que limita altura para edificações, medida que impactou muito o setor em Londrina. Ele explicou que o Sinduscon vem fazendo, desde 2015, um trabalho de assessoria técnica e sensibilização nos órgãos competentes com o objetivo de conseguir uma portaria específica para o município, compatibilizando a segurança de voo e o plano diretor da cidade. “Tudo indica que até o começo do ano vamos conseguir a aprovação dessa portaria”, acredita.



Vice-presidente de economia do Sinduscon, Rodofo Sugeta informou sobre o primeiro Salão de Negócios Imobiliários de Londrina, evento que está sendo elaborado pela entidade e deve ser lançado em 2018. Já o vice-presidente de tecnologia e qualidade, Clóvis Inácio Bohrer Filho, apresentou o programa de atualização tecnológica, feito desde o ano passado em parceria com o Ceal, e também o trabalho da Comissão Permanente de Discussão de Normas dos Bombeiros, assunto que impacta diretamente o setor.



Membro do Conselho Fiscal Efetivo da entidade, Agostinho de Rezende apresentou-se como membro da comissão de elaboração da planta genérica de valores venais dos imóveis de Londrina, esclarecendo que as entidades que compõem essa comissão aprovaram apenas os valores venais. “Não validamos aumento de IPTU”, avisou.



Vice-presidente de obras públicas do Sinduscon, Nelson Barreto tem participado com frequência de reuniões em Brasília e contou que a administração pública tem o entendimento de que 80% do desemprego no Brasil é provocado pela construção civil.  De acordo com ele, o governo federal acredita que a retomada da economia deve ser feita de baixo para cima, e por isso, estimula as prefeituras a reagirem, com recursos federais via Caixa e BNDS. “Há um universo de obras que o Sinduscon está trabalhando junto com a prefeitura, com a viabilização de recursos federais.”



Barreto ressalta que todo o esforço feito pela diretoria da entidade é no sentido de melhorar as condições para o segmento de maneira geral. Por isso, é importante que todos participem. “Das nossas 147 associadas, a grande maioria não tem noção de tudo o que o Sinduscon faz. Todos têm uma percepção clara do que falta no setor, mas não há participação.”



A reunião contou ainda com apresentação da advogada Ana Bárbara de Toledo Lourenço Jorge, que falou sobre a assessoria jurídica prestada pelo sindicato às empresas associadas em dia com as contribuições; e do gerente regional da Caixa Econômica Federal, Valdemir Martins, que fez um panorama sobre Economia e Habitação, exibindo números interessantes para o setor. No site do banco, 197 mil clientes de Londrina fizeram simulações de compra de imóveis, mostrando o seguinte perfil: a maioria com idade entre 26 e 35 anos,  procurando o primeiro imóvel na faixa de 150 a 200 mil reais. “Cerca de 60% dos londrinenses têm procurado o Minha Casa, Minha Vida, por causa dos subsídios do governo”, conclui Martins.



Por Rosângela Vale