Notícias

Oficina aponta dificuldades da construção civil

Cerca de 20 pessoas, entre engenheiros, arquitetos, estudantes, professores e empresários, se reuniram na noite de quinta-feira (26/04) no Sinduscon, para participar da Oficina sobre Construtechs. Na ocasião, foram levantadas as principais dificuldades do setor da construção civil para o aumento da competitividade. Reunidos em grupos, os participantes discutiram e apontaram também as principais causas que geram tais dificuldades. Integrantes da comunidade Red Foot, que representam as start-ups de Londrina e região, apresentaram o panorama das construtechs no Brasil e as que já existem por aqui. A iniciativa faz parte das ações que antecedem o primeiro Hackathon da Construção Civil de Londrina, que acontece em outubro, dentro da programação do Eco.Tic 2018. 



O encontro é a primeira ação realizada pelo grupo de estudos (formado por entidades e instituições) que se reúne desde o início do ano com o objetivo de viabilizar um projeto de inovação para a construção civil de Londrina e região. O grupo é composto por Sinduscon, Senai, Sebrae, Red Foot, UEL, Unicesumar e Unopar, Unifil, Ceal, Crea, Consulado do Canadá e Agência Terra Roxa.  O objetivo é a realização do hackathon da construção em outubro (26 a 28), dentro da programação do ECO.TIC 2018, e a elaboração de um planejamento estratégico de governança e inovação do setor.



Nada mais oportuno, já que além de ser destaque no setor da construção civil e imobiliário, Londrina é um polo tecnológico, tem várias empresas no setor de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), que fazem parte de uma APL de TIC (Arranjo Produtivo Local) e vem realizando Hackathons em várias áreas, como agronegócio, transporte, saúde, informação, entre outros. A cidade já possui diversas Incubadoras, Aceleradoras e Ecossistemas para o crescimento e desenvolvimento de empresas e startups.