Notícias

Especialista fala sobre a importância do Lean na construção

Aumento de 20% no lucro dos empreendimentos e 25% na produtividade dos serviços, redução de dois a quatro meses no tempo de execução, além da diminuição no volume de resíduos gerados em obra em até 40%. Resultados como esses têm sido reportados por construtoras que aplicam a filosofia Lean de gestão em suas obras. Os números foram apresentados pelo engenheiro civil Sérgio Kemmer, recém chegado da Inglaterra, onde atuou por quase uma década ao lado de um dos criadores do movimento Lean na construção no mundo, Professor Lauri Koskela.



Engenheiro Civil pela Universidade Estadual de Londrina, Mestre em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina e PhD em Gestão da Construção pela Universidade de Huddersfield (Inglaterra), ele atuou ainda como Consultor Lean na Jacobs UK e como Gerente de Produção e Coordenador Lean na C. Rolim Engenharia, construtora reconhecida como referência na aplicação da filosofia Lean de gestão na construção.



Recentemente, Kemmer reuniu mais de 90 pessoas no auditório do Sinduscon Paraná Norte para falar sobre a importância e os benefícios da aplicação da filosofia Lean na construção civil. Na entrevista a seguir, ele dá mais detalhes sobre o assunto.



 



 Defina o que é Lean e como ele deve ser aplicado à construção civil



Lean é uma filosofia de gestão, baseada no Sistema Toyota de Produção, que visa criar mais valor para os clientes com o mínimo de recursos. Para que isso aconteça, o engajamento das pessoas que estão envolvidas com o trabalho é fundamental em função do conhecimento que elas tem sobre os processos. A aplicação do Lean na construção deve levar em consideração as peculiaridades do setor. Por exemplo, promover a colaboração e integração dos agentes da cadeia como construtores, projetistas, clientes, fornecedores, entre outros, é essencial para combater a fragmentação típica do setor da construção civil bem como para alcançar melhor desempenho. A aplicação dos princípios Lean de gestão por meio de ferramentas gerenciais adaptadas ao contexto da construção é também recomendado.



 Quais estratégias você está adotando para que o Lean consiga ser implantado nas empresas?



A estratégia é mostrar aos gerentes e diretores de empresas que o Lean traz resultados significativos para o negócio como, por exemplo, aumento do lucro, redução do desperdício, aumento de produtividade, aumento na satisfação do cliente, etc. Tenho demonstrado o potencial e viabilidade do Lean através de palestras, cursos, reuniões com empresários do setor e também por meio das redes sociais. No meu site - www.sergiokemmer.com - disponibilizo artigos sobre o assunto que demonstram os benefícios que podem ser obtidos através da filosofia Lean de gestão.



Na sua opinião, por que a cultura nacional segue um caminho contrário ao das diretrizes do Lean?



Por falta de conhecimento sobre o assunto. Infelizmente, Lean ainda não é um tema abordado de forma consistente nos cursos de engenharia no país. Por essa razão, métodos de gestão tradicionais ainda prevalecem nas empresas. Porém, a boa notícia é que esse cenário vem mudando ao longo dos anos. Cada vez mais as empresas procuram por novas maneiras de gerir seus projetos. Veja o caso de Londrina, as duas maiores construtoras locais já adotam os conceitos e ferramentas Lean em seus projetos.



Qual é o maior impedimento para que o empresário adote o Lean?



A falta de profissionais capacitados para implementar os conceitos e ferramentas Lean de forma correta nas empresas pode ser um impedimento. Entretanto, vale ressaltar que essa barreira pode ser superada através de treinamentos e suporte técnico especializado na implantação prática dos conceitos Lean nas obras.



O Lean ainda é um mistério para muita gente. Como você acha que as pessoas podem ter mais acesso ao assunto? Como você pensa em trabalhar para que isso aconteça?



Existem várias maneiras de acessar o assunto como, por exemplo, participação em congressos, palestras e eventos, leitura de livros e pesquisa em sites do gênero. Além disso, as pessoas podem buscar conhecimento sobre Lean por meio de treinamentos, cursos e especializações na área. Porém, apesar de ser fundamental, o aprendizado em sala de aula não é suficiente para desvendar esse mistério. É preciso praticar, ou seja, implementar os conceitos e ferramentas Lean nas obras para que o aprendizado obtido em sala de aula seja consolidado na prática. Tenho trabalhado nesses dois eixos, isto é, na capacitação de pessoas através de cursos e treinamentos bem como no apoio às empresas durante o processo de implementação do Lean nas obras por meio de consultorias.



Você espera contar com quais players do setor para ajudar a disseminar o Lean na nossa região?



O envolvimento de entidades de classe como o Sinduscon e o Clube de Engenharia e Arquitetura é fundamental para a divulgação do Lean uma vez que essas instituições agregam várias empresas. As universidades também desempenham um papel essencial na disseminação do Lean, pois são elas as responsáveis pela formação dos novos profissionais. Por último, mas não menos importante, é a participação dos contratantes de obras. Na Inglaterra, por exemplo, existem organizações (clientes) que exigem de seus contratados a aplicação dos conceitos e ferramentas Lean em seus projetos. Esse tipo de exigência estimula os agentes da cadeia a buscar conhecimento sobre o assunto.



O que fez você voltar ao Brasil depois de 10 anos estabelecido na Inglaterra?



Para ser mais exato foram 8 anos e 9 meses na Inglaterra. Voltei por conta do meu compromisso com o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) em retornar assim que terminasse minha pesquisa para que pudesse aplicar no Brasil o conhecimento que obtive lá fora. Estou muito feliz em poder contribuir com o avanço da construção civil nacional por meio da disseminação da filosofia Lean de gestão.