Notícias

Encontros Folha debate o papel da construção civil

O papel da construção civil na economia do norte do Paraná foi o tema da décima terceira edição do “Encontros Folha”, que aconteceu na manhã desta quinta-feira (14/03) no Centro de Eventos do Aurora Shopping. Cerca de 200 pessoas participaram do evento, que teve o Sinduscon Paraná Norte como um dos patrocinadores. A palestra de abertura, sobre cenários e desafios da inovação no setor, foi feita pelo engenheiro civil e coordenador acadêmico da FGV, Pedro Seixas Corrêa.



Logo no início, Corrêa definiu a matéria-prima do setor.  “Não é cimento nem aço, é o espaço. Atuamos no segmento de transformação do espaço”, disse. Segundo ele, as principais características da construção são: mercado fragmentado, alto risco para investir por conta do ciclo longo da produção e da imprevisibilidade do cenário econômico e político, carência de dados quantitativos confiáveis e detalhados sobre a demanda, crédito caro e limitado, legislação ainda em processo de evolução e grande demanda residencial projetada.



De acordo com o palestrante, o déficit habitacional no Brasil é de seis milhões de unidades (dados de 2015). “Metade disso existe; as casas já estão construídas, mas o custo do aluguel é excessivo em relação à renda das famílias. Mais de 90% do déficit está concentrado em famílias de até cinco salários mínimos, que precisam de subsídio do governo.”



Corrêa ressaltou a janela de oportunidade que o Brasil terá na próxima década por conta da transição demográfica, quando mais pessoas em idade produtiva estarão no mercado. “O potencial de crescimento das famílias ainda é muito grande pelos próximos 20 anos. Mas precisamos entender quais serão as demandas para acertarmos a produção”, observou.



O palestrante falou ainda sobre a quarta revolução industrial e o BIM: “Mais do que tecnologia é um processo”; e também sobre a importância da conexão entre as pessoas para acelerar os processos de inovação, uma vez que a troca de experiências é fundamental. “Tem startup sugerindo a construção de corredores mais estreitos em shoppings para que as pessoas, literalmente, se esbarrem, já que hoje elas caminham olhando para o celular.”



Na segunda parte do evento, foi feito um debate com o diretor do grupo Plaenge, Alexandre Fabian, o gerente de expansão do Grupo A. Yoshii, Leonardo Schibelsky, o diretor presidente da Quadra Construtora Luis Carlos Moro Pires e o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati. Mediado pelo jornalista Diego Prazeres, o painel contou com perguntas dos participantes, que incluíram temas como legislação, burocracia na aprovação dos projetos,  cotas de habitação de interesse social, MCMV, Compliance, BIM, Comaer e vazios urbanos.



Por Rosângela Vale